Com 425 casos suspeitos, cresce adesão à quarentena em Sumaré e Hortolândia

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
Com 425 casos suspeitos, cresce adesão à quarentena em Sumaré e Hortolândia

Até o fechamento desta edição do Jornal Tribuna Liberal, as cidades de Sumaré e Hortolândia somavam 425 casos suspeitos de contaminação pelo novo coronavírus. Com a epidemia se alastrando a cada dia, cresceu também, nestas duas cidades, o índice de adesão à quarentena e ao isolamento social decretados pelo Governo do Estado.

Área de cobertura do Tribuna Liberal chegou a 21 casos confirmados de Covid-19, com 546 suspeitos aguardando resultados de exames

No último domingo, 12 de abril, feriado de Páscoa, a adesão em Sumaré havia subido para 57% – o maior índice desde o início da estimativa pelo Estado –, e para 61% em Hortolândia, também um “recorde” para a cidade.


Para comparação, na última quarta-feira (08/04), esses percentuais eram bem mais baixos, de apenas 46% em Sumaré e 51% em Hortolândia, segundo o SIMI-SP (Sistema de Monitoramento Inteligente) do Governo de São Paulo, que utiliza dados das empresas de telefonia celular para saber quantas pessoas ficam em casa diariamente.


De qualquer forma, ainda com esta melhora geral nas 52 cidades monitoradas, o Estado de São Paulo, com 59% de adesão ao isolamento no último domingo, também seguia abaixo da meta estipulada para tentar evitar o rápido colapso do Sistema de Saúde, que é de 70% de adesão à quarentena. O governador João Doria (PSDB) chegou ontem a elogiar e agradecer as pessoas que voltaram a aderir à quarentena durante o feriado prolongado, mas reforçou o apelo para que mais gente “fique em casa”.


“De acordo com o coordenador do Centro de Contingência do coronavírus em São Paulo, o médico infectologista David Uip, a adesão ideal para controlar a disseminação da Covid-19 é de 70%. Se a taxa continuar baixa, o número de leitos disponíveis no Sistema de Saúde não será suficiente para atender a população”, destacou ontem o Governo do Estado.


A “central de inteligência” analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social. Com isso, é possível apontar em quais regiões a adesão à quarentena é maior e em quais as campanhas de conscientização precisam ser intensificadas, inclusive com apoio das prefeituras. O sistema é atualizado diariamente para incluir informações de municípios.

BALANÇO
As cidades de Sumaré, Hortolândia, Monte Mor, Nova Odessa e Paulínia, chegaram na segunda-feira a 21 casos confirmados de Covid-19 – quatro a mais que na última quinta-feira –, com 546 pacientes suspeitos ainda aguardando os resultados dos exames. Havia também 17 mortes suspeitas e uma confirmada pela nova doença. As informações mais recentes de Paulínia, no entanto, eram de domingo.


Em Campinas, maior cidade da Região Metropolitana, eram ontem à tarde 126 casos confirmados, 150 descartados e 1.047 em investigação, além das cinco pessoas que morreram em decorrência da doença.
Em todo o Estado de São Paulo, eram na segunda-feira 8.895 casos confirmados do novo coronavírus, com 608 óbitos. Já são 167 cidades com pelo menos um caso e 65 municípios com no mínimo um óbito.

Entre as vítimas fatais, estão 351 homens e 257 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 82,2% das mortes.
No Brasil, eram ontem 1.328 mortes e mais de 23,4 mil casos confirmados, com taxa de letalidade de 5,7%.

Estes números, no entanto, certamente estão bastante defasados em relação à realidade da epidemia, em função do baixo número de testes, da imensa fila de testes a serem realizados e da demora de contabilização dos casos confirmados das cidades até o balanço nacional, feito pelo Ministério da Saúde. Por isso, a taxa de letalidade real deve ser menor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: