Coronavírus: quarentena em SP vai até dia 22 de abril

Compartilhe
  • 16
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
Coronavírus: quarentena em SP vai até dia 22 de abril

João Doria (PSDB), governador de São Paulo, anunciou a prorrogação da quarentena no estado em entrevista coletiva realizada nesta segunda-feira (06). A medida, que até o primeiro momento estaria vigente até essa terça-feira (07), agora passa a valer até o dia 22 de abril.

Desde cedo, o tucano esteve reunido com empresários e, posteriormente, com sua equipe de contingência que atua para frear a epidemia do novo coronavírus no estado.

A decisão de prorrogar o período inicial de confinamento em todo estado, iniciado no último dia 24 por duas semanas, é respaldada por projeções de aumento no número de casos confirmados e mortes registradas pelo novo coronavírus nas próximas duas semanas. O tucano afirmou que nenhum ação é tomada pelo seu governo baseada no “populismo”.

“Todas as iniciativas do governo de Sao Paulo são amparados na opinião médica. Não fazemos achismos, não fazemos nada que não esteja amparado na área científica”, ressaltou o governador que lembrou que a Organização Mundial da Saúde (OMS) defende de forma contundente o isolamento social.

Em crítica direta ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Doria lembrou que os ministros Luiz Henrique Mandetta (Saúde), Sergio Moro (Justiça), Paulo Guedes (Economia) e o vice-presidente Hamilton Mourão defendem também o isolamento social.

“Será que a ciência e a Organização Mundial de Saúde estão erradas? Um único presidente da República no mundo está certo e detém o conhecimento para discordar do mundo que quer proteger vidas?”, questionou o tucano ao criticar a gestão do Governo Federal durante a crise provocada pela Covid-19.

Doria disse ser pressionado por alguns a reabrir os comércios e afrouxar as medidas de contenção contra a pandemia, mas foi diretor ao refutar essa hipótese.

“Vocês estão preparados para assinar atestados de óbito e carregar os caixões das vitimas do coronavírus? Vão enterrar a vítimas?”, questionou o governador.

Integrantes de setores da economia, como comércio, serviço e indústria, têm se posicionado contra o período de confinamento sob o argumento de risco de paralisia na economia. Durante a coletiva, Joao Doria fez novo apelo aos empresários para que não demitam seus funcionários diante do cenário imposto pela pandemia.

“Depois de salvar vidas, vamos salvar a economia”, prometeu o governador de São Paulo.

Até o último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, divulgado neste domingo (05), São Paulo registrava 275 mortes e 4.260 casos confirmados.

Fonte: Yahoo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: