Decreto altera serviços considerados essenciais em Nova Odessa

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   

Decreto 4.187/2020, assinado pelo prefeito Benjamim Bill Vieira de Souza e publicado na edição desta terça-feira (31) do Diário Oficial do Município, define como atividades essenciais vários outros segmentos no âmbito privado, o que permite o seu funcionamento desde que sejam expressamente atendidas as recomendações e cuidados de higiene estabelecidos pelo Ministério da Saúde. O decreto atende solicitação feita pela Acino (Associação Comercial e Industrial de Nova Odessa) na sexta-feira (27). Nesta terça-feira, o prefeito voltou a se reunir com a vice-presidente da entidade, Juçara Rosolen, e com o secretário de Assuntos Jurídicos, Alessandre Pimentel, quando anunciou as alterações.Passam a ser considerados serviços essenciais em Nova Odessa os seguintes segmentos: açougue; peixaria; salão de beleza (cabelereiros e barbearias); depósito de material de construção; loja de material elétrico e hidráulico; óticas; depósito de produtos de limpeza; oficinas mecânicas e de reparos rápidos; loja de ração animal; pet shop (banho e tosa); clínicas veterinárias e manicure e pedicure. As feiras livres poderão ser realizadas apenas com barracas de alimentação e o consumo de alimentos no local é expressamente proibido.”Eu disse, na sexta-feira, quando me reuniu pela primeira vez com representantes da Acino, que a Prefeitura estava disposta a estudar maneiras de ajudar o comércio local. E esse estudo foi feito pela nossa Secretaria de Assuntos Jurídicos e hoje eu convidei a Juçara para uma nova reunião para apresentar essas alterações em nosso decreto. Posso dizer que é um primeiro passo. Seguimos estudando outras medidas que poderão ser adotadas pela Administração”, explicou o prefeito Bill. “Quero agradecer ao prefeito Bill, que atendeu o nosso pedido tão logo recebeu. Essas alterações no decreto já vão ajudar muitos segmentos e ele se comprometeu a continuar buscando novas medidas em benefício do comércio e indústria de Nova Odessa”, emendou Juçara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: