Pandemia: estudo aponta mudança nos hábitos alimentares do brasileiro

Compartilhe

Pandemia: estudo aponta mudança nos hábitos alimentares do brasileiro
Nutricionista de Sumaré alerta sobre impactos da alimentação no corpo

Com mais tempo dentro de casa e tendo que se reinventar nas horas livres, o brasileiro na pandemia redescobriu a culinária caseira. Foram muitas lives e experiências na cozinha, o que fez muitas pessoas mudarem os hábitos alimentares.

De acordo com um estudo do NutriNet Brasil com 10 mil participantes, houve aumento generalizado na frequência de consumo de frutas, hortaliças e feijão durante a pandemia.

Com isso, pode até se dizer que o brasileiro tem preferido comidas mais caseiras, saudáveis e frescas.
A coordenadora do curso de Nutrição da Faculdade Anhnaguera, Leonidia Leite Rosa, diz que ainda assim a população precisa se conscientizar sobre os impactos e influência que a alimentação exerce no corpo.

“Um dos principais meios de cuidar da saúde é por meio da nutrição, processo em que os organismos usam alimentos ingeridos para assimilar nutrientes e fazer com que as funções vitais ocorram de maneira saudável”, diz.

A especialista esclarece que comer pouco não significa ser saudável. A alimentação é um dos elementos que compõem a saúde, mas não o único. “Ter saúde significa manter o bem-estar mental, físico e social.”

Ela explica que é comum a alimentação saudável e a nutrição serem associadas a dietas malucas e restrições alimentares, o que nem sempre fazem bem. Isso porque a maioria das pessoas está acostumada aos extremos, quando se trata de alimentação e padrões de beleza.

Segundo Leonídia, muitos querem perder peso rápido ou atingir objetivos físicos que nem sempre condizem com a saúde geral do corpo. Ela esclarece que restrições desnecessárias podem cortar elementos importantes para a saúde.

“O ideal, quando se pensa em dieta, é manter o equilíbrio, não exagerar na quantidade de comida nem nas restrições. Se sentir necessidade de fazer alguma dieta, o acompanhamento profissional é imprescindível”, afirma.

A coordenadora na Anhnaguera enfatiza que o objetivo da reeducação alimentar, por exemplo, é manter hábitos saudáveis sem sofrimento. “É importante manter uma relação positiva com a alimentação.”

*NutriNet Brasil. Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde (Nupens) da FSP-USP. Disponível em: https://www.fsp.usp.br/site/noticias/mostra/23469. Acesso em 25 de março de 2021.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: