Sumaré suspende vacinação por falta de doses, Governo de SP diz que prefeitura usou só metade do lote

Compartilhe
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
Sumaré suspende vacinação por falta de doses, Governo de SP diz que prefeitura usou só metade do lote
Campanha de imunização também foi suspensa em Paulínia (SP) na noite desta terça (16) — Foto: Roberto Casimiro/Fotoarena/Estadão Conteúdo

POR: G1 Campinas

Pasta informou que município aplicou 5,7 mil doses, ou 53,3% do quantitativo recebido; Vigilância em Saúde aponta discrepância de dados. Paulínia (SP) também anunciou interrupção.

Após a prefeitura de Sumaré (SP) anunciar, na sexta-feira (12), a interrupção da campanha de vacinação contra a Covid-19 por falta de doses, a secretaria estadual de Saúde informou, na noite desta terça (16), que a administração utilizou apenas metade do lote enviado.

Em nota, a pasta ressaltou que, ao todo, o município recebeu 10,8 mil doses do imunizante. “Deste quantitativo, conforme atualização do site ‘Vacina Já’, foram aplicadas 5,7 mil doses do imunizante, ou seja, somente 53,3% do quantitativo recebido. Portanto, ainda há doses para continuidade da campanha no município”, diz o texto.

A secretaria estadual de Saúde destacou ainda que “a execução da campanha, com organização e distribuição de quantitativos na rede de saúde, bem como aplicação das doses na população, é responsabilidade dos municípios”.

O que diz a Vigilância?

À EPTV, afiliada da TV Globo, a ‎superintendente de Vigilância em Saúde de Sumaré, Denise Barja, explicou que das 10,8 mil doses enviadas pelo estado, cerca de 8 mil já foram aplicadas, enquanto outras 2.680 são destinadas à aplicação da segunda dose do imunizante e, por isso, não podem ser utilizadas no momento.

A divergência entre os dados do município e do estado, segundo Barja, ocorre devido às instabilidades apresentadas pelo “vacinômetro” estadual, o sistema VaciVida. “O sistema está instável e todo mundo está alertando o estado sobre isso. Temos doses para lançar, mas com certeza não é a quantidade que o estado falou”, ressaltou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: